Como eu trato compulsão alimentar, com Dr. Táki Cordás

As sessões científicas do XXXVI Congresso Brasileiro de Psiquiatria – CBP são os maiores atrativos para o congressista que deseja ter acesso ao melhor da psiquiatria discutido no Brasil e no mundo. Entre as atividades, as sessões de Como eu faço/trato atraem médicos psiquiatras, estudantes, residentes e diversos profissionais da área de saúde mental, que buscam o conhecimento dos palestrantes especialistas nas suas áreas de atuação clínica e científica.

Uma das primeiras sessões confirmadas para o XXXVI CBP tem como tema “Como eu trato compulsão alimentar”, que será apresentada pelo Dr. Táki Cordás. Médico psiquiatra, o Dr. Cordás é coordenador da Assistência Clínica do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo (IPq-HCFMUSP). Também é coordenador do Programa de Transtornos Alimentares (AMBULIM) do IPq-HCFMUSP.

“O CBP hoje é um dos maiores congressos da nossa especialidade no mundo, não deve nada aos mais importantes congressos internacionais por algumas razões: primeiro pelo estado de arte da psiquiatria brasileira, que tem especialistas de renome nos principais boards internacionais, também pelo esforço da ABP de trazer sempre convidados internacionais de elevadíssimo nível”, afirma o Dr. Táki Cordás sobre a qualidade científica do Congresso.

Acerca do seu tema, o também professor dos Programas de Pós-Graduação do Departamento de Psiquiatria da USP define: “entre os transtornos alimentares, o transtorno da compulsão alimentar é o que foi definido recentemente como terceiro grande transtorno desta natureza e, certamente, a prevalência é de muito maior importâncias do que os outros. O transtorno da compulsão alimentar é um problema multidisciplinar que abrange não apenas a preocupação dos psiquiatras, mas dos endocrinologistas, cirurgiões bariátricos, cardiologistas e de outros profissionais de saúde, na medida que a comorbidade é muito maior em pacientes com compulsão alimentar, falando de obesidade, do que sem compulsão”.

Sobre o tratamento da compulsão alimentar, o Dr. Táki Cordás faz um pequeno resumo do que será abordado em sua atividade. “Recentes avanços no tratamento e na caracterização da doença tornam hoje a possibilidade de tratar esses pacientes muito mais concreta. Existem algumas alternativas terapêuticas, possibilidades de orientação nutricional, existem formas psicoterápicas, apoio e tratamento farmacológico de boa qualidade”, pontuou.

Para saber mais sobre o tema, não perca a atividade coordenada pelo Dr. Táki Cordás: “Como eu trato a compulsão alimentar”. O XXXVI CBP acontece entre os dias 17 e 20 de outubro, em Brasília.

Comments are closed.