Eurípedes Miguel

Eurípedes Constantino Miguel é Professor Titular e Chefe do Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo). Ele também é professor Associado Adjunto no Centro de Estudos da Criança da Escola de Medicina da Universidade de Yale e no Departamento de Psiquiatria e Ciências do Comportamento da Duke University. Desde 1994, liderou projetos de pesquisa no Brasil na área de transtorno obsessivo compulsivo (TOC). Ele foi o fundador e coordenador do Programa de Transtornos do Espectro Obsessivo-Compulsivo (TOC) em sua Instituição (1994-2009). Desde 2003, é Coordenador do Consórcio Brasileiro de Pesquisas do TOC que inclui as mais importantes universidades brasileiras no campo do TOC. O Consórcio coletou 1001 casos de TOC, muito bem descritos do ponto de vista fenotípico e gerou inúmeras publicações internacionais. Ele é membro do Grupo de Trabalho ENIGMA-OCD, do Consórcio de Imagem do Cérebro TOC (OBIC) e do Projeto Colaborativo Internacional de Genética da OCD Foundation. Foi agraciado por três vezes com Projetos Temático pela FAPESP e, recentemente, pela Instituto de Saude Mental Americano (NIMH) com um Grant Global focado no TOC e transtornos relacionados (com colaboradores da Universidade de Columbia – EUA, Índia, África do Sul e Holanda). Desde 2009, o Dr. Miguel também é responsável pela Disciplina de Psiquiatra da Infância e Adolescência em sua Instituição. Assim, nos últimos 9 anos, ele iniciou várias novas linhas de pesquisa que culminaram com a fundação do Instituto Nacional de Psiquiatria do Desenvolvimento, uma organização de pesquisa focada no desenvolvimento de novos métodos para identificar indivíduos em risco para o desenvolvimento de transtornos mentais e testar intervenções para prevenir ou atenuar sua expressão. Outra iniciativa relevante deste Instituto é a pesquisa buscando verificar os efeitos de uma intervenção de visita domiciliar para gestações de alto risco (jovens adolescentes pobres e solteiras) na mitigação dos efeitos nocivos do estresse tóxico no cérebro em desenvolvimento durante o período intra-uterino e infância e, assim, promover o desenvolvimento normal. Esta intervenção foi também patrocinada pelo Grand Challenge Canadá – Saving Brains e a Fundação Gates, CNPq e FAPESP. Entre 1997 e 2007 foi um dos editores da Revista Brasileira de Psiquiatria. Hoje é membro do American College of Neuropsychopharmacology, da Society of Biological Psychiatry e da Associação Brasileira de Psiquiatria. Supervisionou mais de 60 alunos (desde o nível de graduação até o pós-doutorado. Editou 12 livros, publicou mais de 200 artigos, os quais foram citados mais de 9000 vezes, lhe conferindo um índice h de 51 (citação do Google Scholar). Para acesso a todas às suas publicações utilizar o link: https://scholar.google.com/citations?hl=en&user=hd03BJ0AAAAJ

Comments are closed.